Depressão um mal do século

Muitos dizem que é frescura, doença de rico, mas a depressão existe sim e vem aumentando a cada dia.  Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 350 milhões de pessoas no mundo sofrem desse mal.

Principais Sintomas:

Perda de interesse me qualquer atividade, ausência de prazer, sentimento de culpa e baixa autoestima, desânimo e alteração do sono e apetite.

Outros sintomas:

• Desânimo, cansaço mental, dificuldade de concentração, esquecimento;
• Incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades que antes da depressão eram agradáveis;
• Tendência ao isolamento tanto social como familiar;
• Apatia, desinteresse, falta de motivação;
• Falta de vontade, indecisão;
• Sentimentos de medo, insegurança, desespero, vazio;
• Pessimismo, ideias de culpa, baixa autoestima, falta de sentido na vida, inutilidade, fracasso;
• Ideias de morte e até suicídio;
• Dores e outros sintomas físicos geralmente não justificados por outros problemas médicos, tais como, cefaleias, sintomas gastrintestinais, dores pelo corpo, pressão no peito;
• Alterações do apetite;
• Redução da libido, insônia ou aumento do sono.

Como ocorre?

Na maioria dos casos, há disfunção bioquímica do cérebro, por isso a importância de avaliação médica.

Dicas:

Separamos algumas orientações básicas. Se não houver melhora, procure um especialista:

  • Estabeleça rotina: isso ajudar a manter ou colocar as coisas no rumo.
  • Dasafie os pensamentos negativos: questione e busque ver o outro lado sempre que surgir um pensamento “ruim”.
  • Pratique atividade física: o exercícios estimula a produção de endorfina, hormônio responsável pela sensação de bem-estar.
  • Lazer: apesar do desânimo, não abandone as atividades que eram prazerosas e o contato social.

Segundo o site da ABRATA a depressão caracteriza-se por um estado em que o humor fica deprimido, melancólico, “para baixo”. O indivíduo sente angústia, ansiedade, desânimo, falta de energia e, sobretudo, uma tristeza profunda. Às vezes tédio e apatia sem fim. No mundo inteiro, a depressão atinge um número cada vez maior de pessoas, e dentre todos os distúrbios psiquiátricos, ela ocupa o terceiro lugar em prevalência.