Como evitar as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)?

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) estão entre os problemas mais comuns de saúde pública em todo o mundo. Existem DST curáveis, que desaparecem totalmente quando tratadas, e as não curáveis, que podem ser apenas controladas, como no caso da Aids.

São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina com uma pessoa que esteja infectada. A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

Evitar contrair uma dessas doenças, na maioria dos casos, depende de você por isso, siga as orientações: 

  • Use preservativos nas relações sexuais;
  • Evite o contato sexual com múltiplos parceiros;
  • Somente utilize agulhas e seringas se forem descartáveis;
  • Antes de utilizar instrumentos cortantes, os mesmos devem ser esterilizados.
  • Ao surgir sintomas como dor ao urinar, corrimentos, feridas, coceiras e verrugas, procure um médico, podem ser sintomas de DST!

No Brasil, as estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) de infecções de transmissão sexual na população sexualmente ativa, a cada ano, são:

Desde 1986, a notificação de casos de aids e sífilis é obrigatória a médicos e responsáveis por organizações e estabelecimentos públicos e particulares de saúde, seguindo recomendações do Ministério da Saúde. Com as mesmas orientações, o registro de HIV em gestantes e recém-nascidos tornou-se obrigatório desde 2000.

O Ministério da Saúde também classifica como (ISTs) Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). A terminologia Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) passa a ser adotada em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas.

Quer conhecer mais sobre o assunto? Clique neste link para ler mais no site do Ministério da Saúde.

Cuide de sua saúde, previna-se! Fique bem!