Febre alta, tosse, cansaço, dor de cabeça e dor no corpo. Esses são os principais sintomas da gripe, doença comum durante o início do outono e final do inverno, período que marca o começo das doenças respiratórias. Apesar de conhecida, a gripe ainda coloca em risco a saúde dos brasileiros e está ligada a complicações como pneumonia. Dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a doença mata mais de 650 mil pessoas todos os anos.

Segundo o Dr. Alberto Chebabo, médico infectologista, recomenda-se que todas as pessoas acima de seis meses de idade tomem a vacina da gripe para diminuir os riscos de desenvolver a doença. “Como a vacina não oferece proteção a longo prazo, é necessário que a população seja imunizada anualmente. A cada ano, muda a composição do imunizante que contém os subtipos dos vírus da gripe”, explica. O especialista esclarece que isso ocorre devido à mutação frequente dos agentes causadores dessa infecção.

Chebabo elucida que a proteção é oferecida de forma diferente no sistema público e privado. Nos postos de saúde, além de segmentar a imunização pelos grupos de maior risco, a população recebe a versão trivalente da vacina que previne os dois subtipos de Influenza A e um subtipo da Influenza B. “Já no particular, a vacina é disponibilizada a todos com mais de seis meses de idade e o imunizante vem na forma quadrivalente, que protege também contra o outro Influenza tipo B, Victoria, além de outros três tipos que também estão na vacina trivalente. Assim, há um ganho de proteção de 15% nos casos de influenza”, destaca.

De acordo com o médico, quem não tomar a vacina corre o risco de desenvolver a influenza. “Nesses casos, a doença debilita e pode apresentar complicações, com a possibilidade de chegar a óbito”, conta Chebabo.

Como plano de ação para diminuir os efeitos da gripe no país, o Ministério da Saúde iniciará a Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza 2018 em 23 de abril. A data mais importante do calendário de mobilização será o Dia D, realizado em 12 de maio (sábado).

Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/dino/entre-as-doencas-respiratorias-mais-graves-gripe-e-a-que-oferece-mais-risco-a-saude,8891f91faad1396f8f4f324ac8828ba1zd5xtli6.html