Além da queda nas temperaturas, o inverno também é marcado pela baixa umidade, na maior parte do País. A mudança de estação deixa o corpo mais propício a doenças respiratórias como rinite e asma, assim como alergias de pele e sangramento nasal.

Isso acontece porque as mucosas do corpo ficam ressecadas, causando irritação dos olhos e do nariz, e dermatites. Crianças e idosos são os mais suscetíveis a esses problemas e, por isso, a hidratação deve ser reforçada. A recomendação é ingerir ao menos dois litros de água por dia e usar cremes hidratantes.

A casa fechada, com pouca ventilação, aliada a tapetes e ao pó atacam em cheio os alérgicos. Para deixar a casa livre de ácaros e mofo, a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) recomenda:
• Fazer a limpeza da casa apenas com pano úmido, tanto nos móveis, quanto nos assoalhos;
• Guardar em armários fechados ou empacotar objetos que acumulem pó, como livros, brinquedos, entre outros;
• Lavar semanalmente a roupa de cama;
• Preferir edredons a cobertores de pelos;
• Usar umidificadores com parcimônia, apenas nos dias muito secos, já que ele pode aumentar a proliferação de mofo no ambiente.

Exercícios ao ar livre

Entre os meses de julho e setembro, o Ministério da Saúde alerta também que a população deve evitar a prática de exercícios físicos entre 9h e 17h, quando as taxas de umidade ficam mais baixas. Outra dica é deixar uma bacia com água nos ambientes, para aumentar a umidade.

Fonte: http://www.brasil.gov.br/editoria/saude/2017/07/durante-o-inverno-hidratacao-deve-ser-reforcada