Mais do que uma simples campanha, o Janeiro Branco é um convite ao autocuidado. A saúde mental ainda não recebe a atenção necessária, apesar de ser possível visualizar grandes movimentos relacionados ao tema. Em âmbito geral, a Organização Mundial da Saúde afirma que uma, a cada quatro pessoas, poderá vir a sofrer de algum transtorno mental e/ou psicológico. Esses dados alertam para a importância de se falar abertamente deste assunto de forma didática e preventiva, para que transtornos da mente continuem a aumentar.

Os transtornos mentais podem representar um tabu na sociedade. Dados evidenciam a necessidade de abrir o tema e as informações sobre saúde mental ao público. A incidência de enfermidades relacionadas a mente e ao estado psicológico do ser humano é cada vez mais frequente, o que pode indicar uma sociedade não saudável, a longo prazo.

Mais do que conhecer tudo o que engloba o termo “Saúde Mental”, é de extrema importância que seja incentivado o auto-conhecimento, o Janeiro Branco está aí para isso. A partir do momento em que o indivíduo se conhece e se reconhece como parte de algo, passa a lidar melhor consigo mesmo, o que afeta positivamente sua vida e no modo que interpreta as dificuldades diárias, que podem ser estopim para enfermidades como ansiedade e depressão, por exemplo. 

Hoje, grande parte do nosso tempo diário é dedicado ao ambiente de trabalho. As altas cargas de trabalho por longos períodos pode resultar em fadiga, comprometer o raciocínio, diminuir o ânimo e deixar as pessoas menos dispostas e isso pode abrir espaço para o estresse, que é um gatilho para uma saúde mental frágil. O excesso de conectividade também pode despertar ansiedade e impaciência. Isso sem considerar o ambiente que pode ser tóxico, com pessoas autoritárias, desrespeitosas, intolerantes e mal educadas, que se exercerem cargos de liderança isso pode ser ainda mais prejudicial às pessoas ao redor. 

Dentro dessa realidade, o corpo pode nos dar sinais de esgotamento como: exaustão, dores constantes, queda de imunidade e perda de interesse nas atividade cotidianas. Fique sempre atento e procure viver dentro dos seus limites.

Em meio a tanta informação sendo recebida, existem pequenas ações que podem ser adotadas com o intuito de tornar a vida mais leve dentro do ambiente corporativo:

Estabeleça Metas: grandes ou pequenas, procure sentir-se realizado

Adote Bons Hábitos: pratique atividades (ex: yoga, meditação, ativ. física, leitura, etc) que façam com que sinta-se mais confortável

Converse Mais: o diálogo permite que sinta-se menos sozinho(a)

Se julgar necessário, procure um especialista.