O poder destrutivo dos vícios ilícitos

Em fevereiro, estamos abordando a importância de combater vícios e maus hábitos, a fim de propagar a qualidade de vida com a adoção de rotinas saudáveis.

O conceito do ilícito vai mais adiante do que a lei determina, pode inferir na ética, na moral, e nos costumes. Por regra e força de lei o vício ilícito é um ato criminoso e passível de punição de acordo com o código penal vigente.

No artigo anterior falamos sobre os 7 tipos de vícios mais comuns e agora vamos abordar especialmente os vícios ilícitos.

Os vícios ilícitos estão diretamente conectados ao uso de substâncias tóxicas que são de uso proibido. Todas estas substâncias, na grande maioria se enquadram em drogas entorpecentes, que tem como objetivo atingir o sistema nervoso central do indivíduo/usuário. O entorpecente provoca estado de letargia, de embriaguez e frequentemente causa dependência e progressivos danos físicos e/ou psíquicos.

Porque as drogas são tão consumidas?

Não há uma causa específica sobre o surgimento de um vício em uma pessoa, isto porque inúmeras variáveis devem ser consideradas para esta avaliação. Mas de forma geral, inclusive cientificamente, o uso de drogas está relacionado a sensação de prazer que ela causa durante o consumo. O efeito químico irá depender do tipo de substância, a frequência e quantidade que foi consumida.

Tipos de vícios ilícitos:

Vejamos exemplos:

  • Maconha: a quem diga que a maconha, por ser de origem vegetal, não é considerada uma droga, porém ela é sim classificada como entorpecente. O nível de dependência da maconha é relativamente baixo em relação às outras drogas mais potentes. O uso prolongado causa danos cerebrais que podem incluir problemas com a memória, dificuldade no raciocínio e baixa concentração.
  • Cocaína: essa droga causa uma sensação de prazer, por sua capacidade anestésica, por outro lado é potencialmente perigosa e viciante. Ela causa diversos problemas no usuário que envolvem danos ao coração e ao cérebro.
  • LSD: não necessariamente causa uma dependência imediata. Mas é comum que os usuários busquem esta droga para obter um estado alucinógeno. Geralmente consumido por jovens em festivais e eventos de entretenimento. Na busca pela “viagem” e a curtição perfeita, acabam por serem seduzidos por esta droga.
  • Ecstasy: o consumo de ecstasy causa grandes problemas no sistema nervoso central, mesmo que a dependência seja moderada. O uso desta substância afeta diretamente a capacidade de memória, ou seja, causa esquecimento transitório.
  • Heroína: considerada a droga mais viciante. A heroína é arrasadora em todos os sentidos. Seus usuários sofrem com a dependência física e psíquica. Apenas 20% dos usuários não se viciam. A overdose pode levar à morte.

A BenCorp se preocupa com a saúde dos colaboradores das empresas que são suas clientes. Com uma equipe multidisciplinar de Health, faz o acompanhamento de internações e doenças. Os casos de internações psiquiátricas por causa de drogas vêm aumentando a cada ano e por isso é importante o apoio da família e também da empresa.

Serviço:

A BenCorp é uma consultoria que oferece gestão integrada de benefícios corporativos e saúde ocupacional, promovendo bem-estar aos colaboradores e reduzindo custos com saúde para empresas.
Entre em contato:

11 3149-4444